segunda-feira, 23 de janeiro de 2012


 Eu era sua, a sua menina, a sua criança, a sua mulher, a sua parceira de dar risada de programas estúpidos que passam de madrugada na TV, a sua namorada sensível. A sua melhor amiga (…) Eu era a mulher que esperava sofridamente você voltar mas nunca deixou de te amar mesmo quando você ia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário